mormon.org Mundial
Amanda Ferreira: Amanda, 19 Anos, Futura missionária!, Mórmon.

Oi, eu sou Amanda Ferreira

Sobre mim

Tenho 19 anos, amo música e toco piano. Gosto de passar meu tempo ouvindo música e lendo coisas que acho interessantes. Adoro animais, especialmente cachorros. Gosto de fazer novas amizades e conversar com as pessoas. Sou muito apegada a minha família, por isso sempre passo muito tempo com eles.

Por que sou mórmon?

Escolhi ser mórmon não pelo fato de ter sido criada na igreja, mas por que sinto o amor de Deus sempre que faço as coisas certas, e por que viver o evangelho me faz uma pessoa melhor e mais feliz. Gostaria que todos pudessem sentir essa mesma alegria, e por isso sirvo na igreja, para ajudar outras pessoas a sentirem que Deus as ama. O evangelho de Jesus Cristo mudou a minha vida, e muda a cada dia. Deus e Jesus Cristo nos amam e querem a nossa felicidade eterna.

Histórias Pessoais

De que maneira suas orações foram respondidas?

Quando oramos com fé e com sinceridade, podemos sentir uma paz enorme dentro de nós, e através do nosso estudo das escrituras e da nossa obediência podemos sentir pelo Espírito Santo que o Senhor responde nossas orações.

Como o Espírito Santo lhe ajudou?

O Espírito Santo é extremamente importante na minha vida! Tenho sentido a cada dia sua influência e sou muito grata por isso. Sei que Jesus Cristo vive e que é Nosso Salvador, sei que o Evangelho é verdadeiro, amo o Livro de Mórmon e todos os dias, ao orar, sinto o Espírito Santo me confirmar todas essas verdades. O Espírito Santo é nosso amigo, nosso protetor e guia em nossa jornada aqui na Terra. O Espírito Santo habita em nós, e nos testifica a verdade de todas as coisas.

Como vivo minha fé

Já fui voluntária do Centro de História da Família na minha estaca, secretária das moças da ala e atualmente sou pianista da ala e missionária de ala. Amo poder servir na igreja, e é gratificante ver que as pessoas são gratas pelo seu serviço. Adoro ir a igreja, pois me sinto muito bem lá. Todas as pessoas sempre buscam conversar umas com as outras e demonstrar que se importam.