mormon.org Mundial
Kalel Derik: mórmon, Jesus Cristo, missionario, verdadeiro, sud, evangelho, Mórmon.

Oi, eu sou Kalel Derik

Sobre mim

Tenho 25, estudo engenharia de Produção e cálculo em boa parte do tempo mas estou a alguns anos de ser realmente um expert nisso. Descobri recentemente uma das coisas que mais me satisfazem, sem ser fotografar, tocar violão, ukulele e ler: Ajudar pessoas! Levar uma família até sua casa, visitar alguém que precisava e não esperava, fazer um sincero sacríficio por alguém de alguma forma... É um passatempo demais agradável. Ler não era meu forte até me aventurar a folhear páginas de alguns livros de Og Mandino. "O maior vendedor do mundo" têm uma certa conexão com a doutrina que pratico. São pensamentos magníficos! Mas nenhuma das obras que costumo ler é tão deleitosa pra mim, como todas as escrituras em conjunto, num determinado assunto. Tenho um amor incondicional por crianças. Me sinto cheio de alegria com um guri ou guria no colo e adoro a atenção que me dão. Me divirto feito bobo, fazendo papel de bobo com criança. Atualmente estou às vésperas de servir uma missão de tempo integral na Argentina e tenho me dedicado quase que integralmente a preparação missionária.

Por que sou mórmon?

Sou membro D'a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias inteiramente. Tive e tenho dificuldades, necessitei e por vezes necessito de consolo. Sou imperfeito. Mas hoje faço parte desta Igreja por muito mais do que qualquer tipo de necessidade. A doutrina aqui vivida chega a ser sublime e não é passiva a nos escandalizarmos nela. O estilo de vida que acabo tomando para mim através da igreja, torna tudo ao meu redor tão mais fácil de se conviver e me ajuda a ter olhos tão mais compreensíveis com todos e com tudo, que eu só consigo amar tudo isso. Não tem como não ser feliz sendo mórmon...

Histórias Pessoais

Por que os mórmons saem em missão?

Depois que nós membros d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias conhecemos e aprendemos o evangelho, depois de sentirmos de forma pessoal e de um jeito inexplicável que estamos no caminho de um evangelho totalmente completo e necessário, sair em missão além de ser um mandamento desta doutrina deleitosa e maravilhosa, torna-se uma necessidade para os mórmons. Sair e pregar tudo o que sentimos, essa verdadeira luz, e saber que ainda temos muito mais para sentir e viver é divino e tudo que queremos se resume em espalhar luz e verdade. Fazer com que todos ao nosso alcance percebam essa luz e a queiram e não é fácil desde o começo. Deixar tudo para trás inclusive as perspectivas como um cidadão, como um profissional. Por vezes, tentar levar essa luz para sua própria família e ver a decisão de servir como missionário ser rejeitada de forma incompreensível. Ver a luz que levamos ser rejeitada pelas pessoas na sua missão. Sofrer com isso... Mas os mórmons fazem parte da Igreja de Jesus Cristo e como tal, buscam ser como o dono da Igreja mesmo disse na Bíblia: Perfeitos, como Ele e Seu Pai que habita nos céus. Fazer como Ele diz nas escrituras e levar a verdade ao mundo, para que todos sejam libertos. Para sentir por vinte e quatro meses um pequeno vislumbre de como foi a vida Dele e seus apóstolos quando buscaram ensinar a todos os confins. Quando buscaram falar com poder e autoridade através de um espírito vindo direto dos céus. Quando mais quiseram salvar quem fosse possível, do que eles próprios. Os mórmons saem em missão porque se sentem verdadeiramente abençoados com tudo o que sentem e passam a querer abençoar verdadeiramente a todas as famílias possíveis, pra que elas também sintam. Os mórmons saem missão porque após conhecer o evangelho do Salvador, estão cheios de amor real e tudo o que mais querem é passar este sentimento a diante. Se possível, dar a volta ao mundo com ele.

Como vivo minha fé

Uma das coisas que mais gosto na congregação a qual faço parte é a participação de todos os membros. Desde as crianças até os idosos. Depois de estarmos expostos a rotina do nosso dia-a-dia, perceber a comunhão de todos ao seu redor é confortante. Nós somos inconscientemente consolados e nos tornamos totalmente aptos a consolar, a confortar quem precisa e até mesmo quem não precisa. Por vezes, ministro aulas aos jovens mais novos que eu sobre passagens do novo testamento e isso me ajuda tanto quanto ajuda aos jovens. É uma experiência que arrisquei praticar de forma intensa e é extraordinária!