mormon.org Mundial
João Vasco Jesus: Vasco de Jesus, Portugal, dança, musica, desenhar, Mórmon.

Oi, eu sou João Vasco Jesus

Sobre mim

A minha actividade favorita é dançar, mas também adoro música e desenhar. Descobri que gostava de dançar aos 17 anos de idade, numa escola de ritmos latinos, mas um ano depois resolvi experimentar outros estilos noutra escola, sendo o principal e actualmente o meu favorito, o Ballet. Flexibilidade não é o meu forte, mas com um pouco de trabalho lá se chega ;) Não tenho formação musical, mas aprendi a tocar bateria sozinho e vou fazendo pesquisas na internet, e o mesmo com o desenho, sempre a esforçar-me para ser o melhor possível. A Ciência embora não seja a minha paixão e não dedique muito tempo, gosto de ver programas científicos para satisfazer algumas curiosidades.

Por que sou mórmon?

Eu cresci "dentro" da Igreja, ou seja, os meus pais já eram membros antes de eu nascer. Mas quem escolheu que eu deveria ser baptizado e quando, fui eu. Num entanto, isso não significava de que eu já tivesse um testemunho bem assente. Na verdade tive que batalhar para o conseguir. Ainda hoje trabalho para fortalecê-lo ainda mais. Algumas pessoas conseguem adquirir um testemunho de um momento para o outro (ou quase), outras (como eu) é progressivo. Tudo começa com um "testemunhozinho", ou talvez um sentimento que no fundo até sabemos que aquilo (o evangelho) é verdade, ou pelo menos que é bom. A partir daí só temos que exercer fé e seguir em frente, trabalhando para fortalecer esse sentimento ou "testemunhozinho". Algumas pessoas ouvem a mensagem que um membro ou até mesmo um(a) missionário(a) dizem e sentem logo, outras que até procuram, necessitam de orar. E foi assim comigo, tive que orar! e orar! e estudar as escrituras para receber resposta. No fundo, já tinha um sentimento de que a Igreja era verdadeira, mas necessitava de uma confirmação espiritual. E graças ao Pai Eterno obtive essa resposta por meio da oração e estudo pessoal das escrituras. Se eu tive um sentimento de que esta Igreja é verdadeira, então tudo o que os Profetas dizem tem que ser verdade, e eles ensinaram e deram a conhecer o plano que Deus tinha e tem para o homem, plano esse que é maravilhoso. Portanto tenho a responsabilidade de trabalhar para merecer "um cantinho no céu" junto do meu Pai Celestial.

Histórias Pessoais

Compartilhe seus sentimentos/seu testemunho sobre Joseph Smith.

O meu testemunho do Profeta Joseph Smith veio através do Livro de Mormon. O simples facto de ter aceitado o desafio de lê-lo mudou-me muito. Lia um pouco por dia, e orava todos os dias antes de ir dormir. Ao longo do tempo notei uma mudança em mim, para melhor. Notei que eu estava naturalmente a tomar melhores decisões, e a aproximar-me de Deus. O meu conhecimento expandiu-se, e também a minha maturidade. Esse Livro mudou-me. Com isso pude saber que este profeta é um profeta de Deus, porque ele traduzio este Livro. Logo se o traduzio e o Livro é verdadeiro no seu conteúdo, então Joseph Smith é um profeta de Deus! Estou-lhe grato pela oração que fez na manhã de Primavera de 1820! Ele aplicou a sua fé e recebeu uma resposta que abençoou o mundo inteiro!

Como vivo minha fé

Ir ás reuniões da Igreja ao domingo é muito importante para mim, não só por um princípio de obediência visto que é um mandamento, mas por amor ao meu Salvador, e também porque é uma oportunidade que eu tenho de estar com pessoas que tem a mesma fé que eu, e porque me sinto bem na Igreja. Se queremos ter felicidade duradoura, devemos ir buscá-la a onde ela realmente está. Já tive o chamado de presidente da Escola Dominical (para quem não sabe, é uma classe onde se ensina doutrina durante as reuniões da Igreja ao domingo), e também tive o privilégio de dar aulas durante e depois desse chamado. Posso dizer que não só ensinei, mas aprendi e fortaleci o meu testemunho. Ás vezes durante conversas surge o tema "religião", e aí tenho a oportunidade de falar um pouco da minha. É óptimo quando as pessoas nos conhecem realmente, porque dá-nos um certo alívio saber que as pessoas nos respeitam. O exemplo também é uma forma de ensinar. Posso não abrir a boca, mas o modo como me comporto diz muito acerca de mim.