mormon.org Mundial
ANA LOPES: Mórmon.

Oi, eu sou ANA LOPES

Sobre mim

Sou mãe de uma magnifica família de 2 filhos que amo demais, uma nora maravilhosa e duas netas lindas. Profissional do direito, amo a vida e o aprendizado e sou feliz por ser mulher. Gosto de dançar, viajar, boa musica, natureza e todas as coisas que mantem em mim a lembrança de quem sou e do proposito da vida. Dinâmica e leal, amo minha religião. Ser encontrada pelas missionárias foi a resposta de orações de toda uma vida, agora sei quem sou, de onde vim, para onde vou, e o que estou fazendo aqui.

Por que sou mórmon?

Porque esse evangelho, é a luz que guia meus passos, o calor que me aquece o coração em dias frios e em tempos tempestuosos, me amplia a visão quando tudo parece perdido ou prestes a se perder, me dá ânimo nos desafios da vida, coragem para permanecer e desejo de perseverar. A certeza de que não estou só, e de que posso confiar plenamente em Deus O pai e Seu filho Jesus Cristo, me trazem a necessária tranquilidade para sobrepujar tentações e desafios e as vozes conflitantes do mundo. Em especial, encontrei nesse evangelho, a resposta para meu questionamento sobre o amor de Deus a seus filhos, quando nos permitia encontrar um companheiro com quem dividiria as coisas mais importantes da vida, com quem teria filhos e a quem amaria de modo incondicional, e depois me seriam tirados sem qualquer explicação ou esperança de reencontro. Saber que as famílias podem ser eternas, faz crescer em mim uma alegria e amor a Deus sem par. Ler o livro de mórmon, é renovar nosso vigor espiritual para os desafios dessa vida. Ser Mórmon é encontrar resposta para nossas perguntas e conflitos interiores. A despeito de todos os desafios da vida, ser mórmon É SER FELIZ.

Como vivo minha fé

Faço parte de uma Ala em crescimento, a Igreja é um centro de aprendizado constante, o crescimento e amadurecimento espiritual é resultado do serviço abnegado ao próximo, que retorna para mim em bençãos de conhecimento e fé e paz interior. Um doce sentimento de alegria que se renova a despeito dos revezes da vida, e que me torna desejosa de ser mais dependente de Deus e de guardar seus mandamentos e honrar meus convênios do templo.Ser professoras dos jovens (rapazes e moças) ampliou minha visão sobre pureza e seu valor, e como permanecer longe da manhas do mundo, estando no convívio dos santos em atividades recreativas salutares e serviço a Deus e ao próximo.