mormon.org Mundial

Oi, eu sou Mick Hagen

  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen
  • Mick & Rachel Hagen

Sobre mim

Tenho 27 anos, sou empreendedor na Internet e minha empresa tem sede em São Francisco. Desisti da Universidade de Princeton (há seis anos), depois do meu primeiro ano, para começar uma empresa chamada Zinch.com. É um site que ajuda alunos a encontrarem oportunidades universitárias ou de pós-graduação e bolsas de estudo. Temos mais de 3 milhões de usuários e trabalhamos com mais de mil universidades. A empresa tem atualmente mais de cem empregados com escritórios em três localidades. E continua a crescer até hoje. Temos uma grande equipe de gestão trabalhando na Zinch. Então, há pouco tempo, comecei a ficar menos envolvido diariamente, assim posso começar a trabalhar num novo negócio. Não foi lançado ainda, mas será um aplicativo para celular. Adoro criar valores e abrir empresas. Abrir um negócio novo sempre será uma paixão para mim. Adoro tecnologia e adoro a Internet. Mais do que o fato de ser empreendedor, adoro esportes. Joguei basquete no Ensino Médio e ainda gosto disso. Também gosto de dançar. Fazia parte de um grupo de dança de hip-hop na Princeton. Minha esposa e eu temos um vídeo de dança no YouTube com mais de 2 milhões de visualizações. Adoro viajar e explorar o mundo. É impressionante o que você pode aprender com diferentes culturas e experiências. E adoro ser marido e pai. Amo meu filho mais do que qualquer coisa neste mundo. Ah, também quero ser cantor de rap no futuro. Adoro hip-hop e rimas. Talvez algum dia. :)

Por que sou mórmon?

Acho que sou mórmon porque isso me traz felicidade. Quando estou obedecendo aos ensinamentos mórmons — servir a Deus, servir aos outros, viver retamente —, descubro que minha vida tem muito mais sentido, propósito e perspectiva. Vivo com uma percepção maior de otimismo e confiança de que Deus está me apoiando. Sinto que sou forte e que estou no controle. Quando sirvo às pessoas e tento ajudá-las, tenho mais consideração pelos outros e esqueço de minhas próprias imperfeições e de meus desafios. Sou capaz de manter uma atitude positiva e ver a alegria e a felicidade que vêm com cada dia. Os ensinamentos trazem ordem e estrutura para uma vida caótica e desestruturada como esta. Eu me vejo mais concentrado no que é mais importante. E me sinto fortalecido, com Deus me apoiando em qualquer coisa que eu decida realizar. Ele quer que eu tenha sucesso. Ele quer que eu me saia bem e seja bom. Estou confiante de que, enquanto eu servir a Ele e me lembrar da fonte de todas as nossas bênçãos, continuarei a ser abençoado (às vezes de forma não só espiritual). Ser mórmon tem me ajudado a entender essa perspectiva. E tenho encontrado alegria nisso. O Espírito Santo confirma que esta é a verdade. Já li o Livro de Mórmon muitas vezes e orei a respeito de sua veracidade e também se Joseph Smith foi um profeta verdadeiro. Não posso negar os sentimentos que tive. O Espírito Santo tocou meu coração e confirmou que isso é verdadeiro. Se eu fosse qualquer outra coisa, mas não fosse mórmon, estaria negando a Deus, Seu amor e Sua misericórdia.

Como vivo minha fé

Acima de tudo, tento ser um bom marido e pai. “Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar”, disse David O. Mckay. Tento amar e servir em meu lar o melhor que eu puder. Quero ter um ótimo relacionamento com minha mulher e criar meus filhos para que queiram servir a Deus e a Seus filhos. Cometo erros com frequência. Estou longe de ser perfeito. Encontrar o equilíbrio e administrar todas as responsabilidades da vida é um desafio. Mas estou tentando… é tudo o que Deus espera. Ele nos pede que façamos o nosso melhor. O nosso melhor será sempre bom o bastante quando fizermos a obra de Deus. Uma das grandes coisas sobre a Igreja Mórmon é que seu clero é todo voluntário, nada é remunerado. Todos nós temos uma oportunidade de servir em diversas funções. Num ano você pode ensinar as crianças e no próximo pode estar liderando a congregação principal. Todos nós temos uma oportunidade de servir, e isso é constantemente mudado. Todos nós somos voluntários. Não somos renumerados. Fazemos isso porque adoramos servir aos outros e ajudá-los. Essa é uma das grandes bênçãos de ser mórmon. E isso permite que eu cresça e me desenvolva de uma maneira que não seria possível de outra forma. Tive oportunidade de liderar diferentes grupos na Igreja. Uma das coisas de que gosto mais em relação a isso é a oportunidade de visitar as famílias em sua casa. Eu as conheço mais, fico sabendo de seus triunfos, suas lutas, o que está acontecendo com todos, como é a vida deles. Amo as pessoas e o fato de cada uma ser única. Isso permite que eu aprenda e cresça com elas. Como líder, você está lá para servir — elevar, inspirar e motivar de todas as maneiras possíveis. Eu acabei sendo o motivado. Descobri que, ao servir, eu aprendia mais do que ensinava. Eu estava sendo motivado mais do que motivava as pessoas. Interessante como isso funciona. Mas conhecer as pessoas, sua vida e como elas se sentem são algumas das grandes bênçãos do serviço na Igreja. E é isso que faz a comunidade mórmon tão unida. Nós nos importamos sinceramente uns com os outros.