Pular a navegação
Converse conosco online

Restauração da
Igreja de Jesus Cristo

Cristo Organizou Sua Igreja na Terra

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida” (João 14:6). Cristo falou a Seus seguidores durante Seu breve porém poderoso ministério na Terra. Era uma mensagem oportuna e necessária já que algumas centenas de anos antes de Seu nascimento muitas pessoas deixaram de viver de acordo com os mandamentos de Deus. Cristo trouxe de volta a luz para o mundo quando proclamou Seu evangelho exatamente como havia feito com os profetas de outrora como Abraão, Isaque e Moisés. Ele escolheu doze homens para ser Seus apóstolos — inclusive Pedro, Tiago e João — e impôs as mãos sobre a cabeça deles para dar-lhes autoridade, chamada de sacerdócio, para realizar batismos, dirigir Sua Igreja e pregar Sua palavra em todo o mundo.

Apesar de Sua grande influência e dos muitos milagres que realizou, no final foi rejeitado e crucificado. Após Sua morte, Seus fiéis e corajosos apóstolos continuaram sem Ele a batizar novos membros e criar várias congregações.

O Grande Declínio

Apesar dos valentes esforços dos apóstolos de Cristo e de Seus fiéis seguidores, a Igreja original que Cristo restaurou começou a declinar. Os membros enfrentaram graves perseguições e foram, com exceção de um, martirizados. Esse período é chamado de a Grande Apostasia, quando houve o “declínio” ( II Tessalonicenses 2:1-3) do evangelho organizado por Cristo. A autoridade apostólica para conferir as chaves do sacerdócio e receber revelação para a Igreja foi perdida bem como muitos ensinamentos preciosos. Erros a respeito de Seus ensinamentos infiltraram-se na Igreja resultando em conflitos de opinião e perda da verdade. Esse período é chamado de a Grande Apostasia.

Sem a autoridade ou orientação divina, a cristandade lutou para sobreviver em meio a opiniões conflitantes até mesmo sobre os ensinamentos básicos do evangelho. Sem a autoridade do sacerdócio ou a plenitude do evangelho, as pessoas tiveram que depender da sabedoria dos homens para interpretar as escrituras, os princípios e as ordenanças. Muitas ideias falsas foram ensinadas como verdade e muito do que sabemos a respeito do verdadeiro caráter e natureza de Deus o Pai, Seu Filho Jesus Cristo e o Espírito Santo foi perdido. As doutrinas fundamentais como a fé, o arrependimento, o batismo e o dom do Espírito Santo foram distorcidas e doutrinas importantes foram inteiramente perdidas.

Séculos mais tarde, algumas pessoas inspiradas, como Martinho Lutero e João Calvino, reconheceram que as práticas e doutrinas tinham sido alteradas ou perdidas e tentaram reformar as igrejas a que pertenciam. Mas sem a autoridade dos apóstolos do Senhor Jesus Cristo, Seu evangelho e Sua Igreja não poderiam voltar a sua forma original.