mormon.org Mundial

Joseph Smith

Joseph Smith: Um Profeta de Deus.

A parte oeste do estado de Nova York, no início dos anos 1800, era conhecida como “Distrito Incendiado”. O fervor religioso era intenso. Muitas religiões enviavam ministros em busca de conversos para seu rebanho. Eram tantos que, aparentemente, não restava ninguém para ser convertido. Era uma época e um lugar de confusão religiosa.

Esse era o ambiente em que Joseph Smith Júnior, filho de Joseph e Lucy Mack Smith, nasceu. Sua grande família encontrava-se no centro desse reavivamento religioso, desejando viver sua vida retamente, mas sem a certeza de qual das igrejas que competiam entre si era a certa para filiar-se. Os membros da família de Joseph seguiam diferentes igrejas, mas nenhum deles tinha certeza de que a sua era a verdadeira Igreja de Cristo.

Os membros da Igreja Mórmon compartilham seu sentimento e testemunho sobre Joseph Smith, o Profeta.

Aquele que Busca a Verdade

Joseph, na época um rapaz de quatorze anos, tinha o desejo de encontrar a verdade. Como o restante de sua família, ele era profundamente religioso e, quando chegou a época de ser batizado, Joseph deveria decidir a qual das muitas denominações cristãs iria filiar-se. Após cuidadoso estudo, ainda se sentia confuso. Ele mais tarde escreveu: “Tão grandes eram a confusão e a contenda entre as diferentes denominações, que para alguém jovem como eu […] era impossível chegar a qualquer conclusão definitiva acerca de quem estava certo e de quem estava errado […]. Em meio a essa guerra de palavras e divergência de opiniões, muitas vezes disse a mim mesmo: Que deve ser feito? Quem, dentre todos esses grupos está certo, ou estão todos igualmente errados? Se algum deles é correto, qual é, e como poderei sabê-lo?” (Joseph Smith — História 1:8, 10).

Joseph buscou orientação na Bíblia. Ele leu:

Esse versículo o impressionou profundamente. Ele decidiu orar acerca do que deveria fazer, com a fé singela de que Deus o ouviria e responderia a ele.

Um Profeta de Deus

Na primavera de 1820, Joseph foi ao bosque perto de sua casa e ajoelhou-se para orar. Ele descreveu sua experiência: “Vi um pilar de luz acima de minha cabeça, mais brilhante que o sol, que descia gradualmente sobre mim […] Quando a luz pousou sobre mim, vi dois Personagens cujo esplendor e glória desafiam qualquer descrição, pairando no ar, acima de mim. Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: Este é Meu Filho Amado. Ouve-O!” (Joseph Smith — História 1:16, 17).

Como Deus restaurou a plenitude do Seu evangelho à Terra por meio de Joseph Smith, um profeta moderno (19:15).

A visão do Pai Celestial e de Seu Filho Jesus Cristo foi o início do chamado de Joseph Smith como profeta de Deus. Foi dito a ele que nenhuma das igrejas na Terra tinha a plenitude da verdade. Com o passar do tempo, Joseph Smith foi escolhido para estabelecer a Igreja de Cristo e restaurar o sacerdócio, ou a autoridade para agir em nome de Deus. Ele foi guiado por Deus a um antigo registro e foi-lhe dada a capacidade de traduzi-lo para o inglês. Esse registro é chamado de Livro de Mórmon. Ele continuou a orar e receber revelação para a Igreja durante sua vida. Essas revelações foram reunidas em um livro de escrituras chamado Doutrina e Convênios e mostra que Deus ainda lidera Seus filhos hoje. Joseph Smith organizou formalmente A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em 6 de abril de 1830.

Um Líder da Igreja de Jesus Cristo

Às vezes quando recebemos um cargo de responsabilidade, sentimos que não precisamos mais de ajuda, mas Joseph Smith dependia do Senhor cada vez mais depois de ser chamado como profeta. Ele sabia que sua responsabilidade não era pregar seus próprios ensinamentos, mas passar adiante as coisas que Deus lhe revelava. A maioria do texto de Doutrina e Convênios é formada por respostas de Deus às orações e perguntas de Joseph Smith. Ele pedia a Deus que esclarecesse passagens do evangelho e lhe desse orientação sobre como deveria liderar a Igreja e o número crescente de membros. Deus disse-lhe que chamasse apóstolos, profetas e outros líderes para supervisionar a Igreja.

Os pioneiros mórmons enfrentaram grave perseguição devido a ameaças comerciais, políticas e religiosas de seus vizinhos, então Joseph e as pessoas que ele chamou para ajudá-lo tiveram que liderar várias migrações mórmons para áreas mais amigáveis do país. Apesar de todo o sofrimento que enfrentavam, os primeiros membros da Igreja construíram templos, fizeram a obra missionária, edificaram cidades prósperas e alguns serviram ao exército dos Estados Unidos enquanto migravam para o Oeste. Anos antes de Joseph morrer, o Senhor o dirigira a organizar o Quórum dos Doze Apóstolos e, depois, Ele investiu-os com todas as chaves, os direitos e a autoridade necessários para guiar a Igreja. Após a morte de Joseph Smith, Brigham Young, na época o Apóstolo sênior na Terra, sucedeu-o como o segundo profeta e presidente da Igreja. O profeta atual, Thomas S. Monson, é o sucessor autorizado de Joseph Smith. Ele e os atuais apóstolos remontam sua autoridade do sacerdócio até Jesus Cristo, numa sequência ininterrupta de ordenações que passa por Joseph Smith.

Um Marido e Pai Devotado

Um dos mais recentes profetas da Igreja disse aos membros: “Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar”. Essa declaração foi feita mais de um século depois da morte de Joseph Smith, mas ele exemplificou essa ideia por toda sua vida. Apesar de Joseph ser frequentemente perseguido e, às vezes, aprisionado por falsas acusações, seus primeiros pensamentos eram sempre para sua família. Ele escreveu para sua esposa, Emma, enquanto estava preso no Missouri:

Joseph viveu a doutrina que pregava — que o fortalecimento da família deve ser um ponto importante em nossa vida. Quando sua vida estava em perigo, Joseph depositava sua fé em Jesus Cristo não somente para sustê-lo, mas também para suster sua esposa e seus filhos.

Um Mártir do Evangelho Restaurado

Às vezes pensamos que morrer por uma causa é a mais pura demonstração de devoção, mas viver por uma causa exige muito mais. Joseph Smith fez as duas coisas. Ele passou a vida a serviço de Deus, sofreu escárnio e violência pelas coisas em que acreditava. Ele não morreu em público com a compaixão do mundo; foi assassinado por uma turba enquanto estava preso por falsas acusações.

Ele demonstrou sua devoção a Deus na vida e na morte. Foi dito a seu respeito: “Viveu grandiosamente e morreu grandiosamente aos olhos de Deus e de seu povo; e (…) selou sua missão e suas obras com o próprio sangue” (Doutrina e Convênios 135:3).

Ele fez a obra de Deus até o dia em que sua vida lhe foi tirada e nós o respeitamos por sua fé, humildade e devoção. Somos gratos pela Igreja que ele ajudou a estabelecer, as escrituras que traduziu, as revelações que recebeu e seus ensinamentos que nos ajudam a entender os caminhos de Deus.

A maneira fiel com que Joseph Smith realizou seu trabalho durante sua breve vida nos inspira a cumprir com nossas responsabilidades, sejam elas grandes ou pequenas.