mormon.org Mundial

Jesus Cristo

Jesus Cristo, Nosso Salvador

Jesus Cristo é o Salvador do mundo e o Filho de Deus. Ele é nosso Redentor. A Bíblia Sagrada ensina-nos que o nome da mãe de Jesus Cristo era Maria, Seu pai na Terra era José, que Ele nasceu em Belém, cresceu em Nazaré e trabalhava com José como carpinteiro. Quando completou 30 anos, começou Seu ministério de três anos ensinando, abençoando e curando as pessoas na Terra Santa. Ele também organizou Sua Igreja e deu a Seus apóstolos “virtude e poder” (Lucas 9:1) para auxiliá-Lo em Seu trabalho.

Mas o que nós queremos dizer quando afirmamos que Ele é o Salvador do mundo? O Redentor? Cada um desses títulos aponta para a verdade de que Jesus Cristo é o único caminho pelo qual poderemos voltar a viver com nosso Pai Celestial. Jesus sofreu e foi crucificado pelos pecados da humanidade, dando a cada um dos filhos de Deus a dádiva do arrependimento e do perdão. Somente por Sua graça e misericórdia podemos ser salvos. Sua subsequente Ressurreição preparou o caminho para que todas as pessoas sobrepujassem a morte física também. Esses acontecimentos são chamados de Expiação. Em resumo, Jesus Cristo salvou-nos do pecado e da morte. Por essa razão, Ele é literalmente nosso Salvador e Redentor. No futuro, Jesus Cristo voltará a reinar na Terra, em paz, por mil anos. Jesus Cristo é o Filho de Deus e será nosso Senhor eternamente.

O Que Jesus Cristo Significa para Nós

Deus é nosso Pai Celestial e, como qualquer pai, Ele deseja que nós, Seus filhos, sejamos felizes. Nas escrituras, Ele ensina: “ Minha obra e minha glória [é] levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem” (Moisés 1:39). Vida eterna significa viver no céu, em Sua presença, com nossa família, eternamente. Deus nos dá mandamentos que nos ensinam o que é certo e o que é errado e traça um mapa que nos trará a felicidade maior para passarmos por esta vida. O Salvador ensinou: “Se me amais, guardai os meus mandamentos” (João 14:15 ). Mas as escrituras também ensinam que “nada que é impuro pode habitar com Deus” (1 Néfi 10:21). Por mais que tentemos viver vidas justas, todos pecamos, então como poderemos viver no perfeito reino de Deus se somos imperfeitos?

Deus enviou Jesus Cristo à Terra para oferecer-nos uma forma de sobrepujar nossos pecados e nossas imperfeições. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).

Jesus Cristo Sofreu por Nós

Antes mesmo de Deus criar o mundo, Ele preparou um plano que nos permitiria aprender e crescer durante esta vida. Jesus Cristo é o centro desse plano. A missão de Cristo não foi somente ensinar-nos a respeito de Deus, o Pai, e de como deveríamos viver, mas também a de proporcionar um meio para que pudéssemos ser perdoados após pecarmos. O pecado é mais do que simplesmente errar. Quando pecamos, desobedecemos aos mandamentos de Deus ou falhamos em agir corretamente apesar de nosso conhecimento da verdade (Tiago 4:17).

Antes de ser crucificado, Jesus orou a Deus no Jardim do Getsêmani em nosso favor. O sofrimento de Cristo por nossos pecados no Getsêmani e na cruz do Calvário é chamado de Expiação. Ele sofreu por nós para que pudéssemos tornar-nos limpos e voltar a viver com nosso Pai Celestial. O evangelho de Jesus Cristo representa as “boas-novas” do sacrifício de Cristo por nós, guiando-nos no caminho para voltar ao Pai. “Portanto, quão importante é tornar estas coisas conhecidas dos habitantes da Terra, para que saibam que nenhuma carne pode habitar na presença de Deus a menos que seja por meio dos méritos e misericórdia e graça do Santo Messias” (2 Néfi 2:8 ).

Fé em Jesus Cristo

A fé em Jesus Cristo leva-nos a fazer boas obras. A Bíblia Sagrada ensina: “A fé sem as obras é morta” (Tiago 2:20 ). Isso não significa que podemos ser salvos pelas boas obras, pois nenhuma quantidade de boas obras pode limpar nossa alma de mesmo um traço do pecado sem o poder do sacrifício de Cristo. Mas aqueles que têm fé genuína em Cristo desejarão segui-Lo e fazer obras iguais às que Ele fez, como ajudar os pobres e necessitados, cuidar dos doentes, visitar os solitários e mostrar boa vontade e amor por todas as pessoas.

Ao seguirmos Seu exemplo e vivermos de acordo com Suas palavras, sentiremos nossa fé aumentar até que se torne uma força atuante em nossa vida, ajudando-nos a nos arrepender de nossos pecados e lidar com nossos desafios. Fé em Jesus Cristo não é uma simples declaração de crença — é a fonte de poder que podemos renovar a cada dia por meio do estudo de Suas palavras, da oração e do esforço cada vez maior de seguir Seu exemplo.

Arrependimento

Ter fé em Jesus Cristo faz-nos querer viver uma vida justa. Quando pecamos e buscamos nos arrepender, reconhecemos e sentimos profunda e sincera tristeza pelo que fizemos de errado. Deus sabia, quando criou a Terra, que nós não seríamos perfeitos, então Ele providenciou um meio para que pudéssemos sobrepujar nossos pecados. A capacidade de nos arrepender é, de fato, uma de nossas maiores bênçãos.

Para nos arrepender, precisamos reconhecer e sentir tristeza pelo nosso erro, fazer o possível para reparar os danos que possamos ter causado e abandonar o comportamento pecaminoso. O arrependimento pode ser difícil e requer muita honestidade, mas a alegria e a liberdade que sentimos quando abandonamos nossos pecados fazem o esforço valer a pena. Por Cristo ter sofrido por nossos pecados, podemos ser perdoados quando nos arrependemos. É por isso que a Expiação é tão importante para todos nós.

Cremos que a Expiação de Cristo nos dá a capacidade de nos arrepender e ficarmos limpos do pecado. Dizer que precisamos nos arrepender de nossos pecados pode parecer uma punição, mas a real punição é a culpa, a tristeza e o desapontamento que sentimos quando pecamos. Então, o arrependimento é o oposto da punição, porque ele nos permite tornar-nos limpos aos olhos de Deus e remover os sentimentos de culpa que sentimos após fazer más escolhas.

Batismo

O batismo é uma promessa ou um convênio que assumimos de seguir Jesus Cristo por toda a vida. Quando desenvolvemos a fé Nele e nos arrependemos de nossos pecados, uma pessoa que tem a autoridade de Deus para batizar nos imerge na água e ergue-nos de volta. Essa ordenança ou cerimônia sugere o sepultamento e o renascimento, e simboliza o fim de nossa antiga vida e o início de uma nova vida como seguidores de Jesus Cristo.

Quando somos batizados, tomamos sobre nós o nome de Cristo. Como cristãos, buscamos segui-Lo em todos os aspectos de nossa vida. Jesus foi batizado quando estava na Terra. Ele nos pediu que seguíssemos Seu exemplo e fôssemos batizados (ver 2 Néfi 31:12). Ele promete que, se seguirmos Seu exemplo e cumprirmos as promessas feitas na ocasião do batismo, teremos Seu Espírito para guiar-nos por toda a vida. Porque o Pai Celestial é um Deus justo e bondoso, todos terão a oportunidade de aceitar Jesus Cristo por meio do batismo, nesta vida ou na próxima.

Depois que Jesus foi batizado, uma voz vinda dos céus falou: “Tu és o meu Filho amado em quem me comprazo” (Marcos 1:11). Cremos que Deus também fica satisfeito quando cada um de nós escolhe seguir Seu Filho e ser batizado. Ele vê tudo o que fazemos, conhece-nos pelo nome e deseja que nos purifiquemos para que possamos retornar a Sua presença.

O Dom do Espírito Santo

Quando Jesus estava na Terra, Ele disse a um homem chamado Nicodemos, “Aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus” (João 3:5). Depois que “nascemos da água” ou somos batizados, podemos “nascer do Espírito” ao receber o dom do Espírito Santo. Uma pessoa com a autoridade de Deus coloca as mãos sobre nossa cabeça e concede-nos o dom do Espírito Santo (Atos 8:17). Essa cerimônia é conhecida como confirmação. O Espírito Santo é um personagem de Espírito. Ele é o terceiro membro da Trindade, junto com o Pai Celestial e Jesus Cristo. Quando recebemos o dom do Espírito Santo e andamos humildemente perante Deus, Ele pode estar sempre conosco. Chamamos isso de dom porque o Espírito Santo é concedido a nós por Deus para guiar-nos nas decisões difíceis, consolar-nos quando estamos tristes, influenciar nossa mente e nossos sentimentos e ajudar-nos a reconhecer a verdade. Esse tipo de auxílio divino lembra-nos de que Deus ama a cada um de nós e deseja ajudar-nos quando enfrentamos dificuldades na vida.

Viver Como Cristo Continuamente

O relacionamento com Jesus Cristo é como qualquer outro — pode começar a enfraquecer se perdermos o contato. Precisamos nos esforçar para exercitar fé suficiente em Cristo para o arrependimento, ser batizados e receber o Espírito Santo, mas temos que lutar para seguir a Cristo e receber todas as bênçãos que Deus deseja conceder-nos.

A chave é pensar no evangelho de Jesus Cristo como um modo de vida e não como etapas de uma lista de verificação. Podemos continuar a desenvolver nossa fé em Cristo diariamente ao ler Suas palavras nas escrituras e orar a nosso Pai Celestial. Quando pecamos, podemos sempre nos arrepender com um coração humilde, porque a Expiação de Cristo é infinita. Podemos nos lembrar das promessas e bênçãos do batismo ao tomarmos o sacramento todo domingo na Igreja. Podemos continuar a confiar no consolo e na orientação do Espírito Santo enquanto Ele nos guia de volta a Deus.

Às vezes, mesmo quando estamos fazendo o melhor possível para seguir o exemplo de Cristo, encontramos obstáculos que podem ocasionar frustração, desapontamento e até desespero. Muitas das provações que enfrentamos na vida não são resultantes do pecado. Por exemplo, a morte ou doença de entes queridos, o estresse no trabalho ou a dificuldade de criar a família podem acarretar desafios e tristeza. Jesus Cristo disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). Quando nos voltamos a Ele, podemos sentir Seu amor. Esse é outro benefício da contínua cristandade — quanto mais nos aproximamos de Jesus Cristo, mais temos consciência de que Deus conhece nossa alegria e nossa tristeza. Podemos encontrar consolo no fato de que Deus tem um plano de felicidade para nós. Com a ajuda de Cristo podemos cumprir esse plano com alegria e voltar a viver no céu com nosso Pai. Isso expande nossa perspectiva e ajuda-nos a enfrentar os desafios da vida.